7 Curiosidades Inacreditáveis do Futebol

1° – O GOL MAIS RÁPIDO DA HISTÓRIA

O gol mais rápido do mundo, segundo o Guinness Book, é de Ricardo Oliveira que fez um gol em 2,8 segundos, jogando pelo Rio Negro contra o Soriano em 26/12/1998.

2° – OS CARTÕES MAIS RÁPIDOS DA HISTÓRIA

Amarelo: O cartão Amarelo mais rápido da história foi dado ao Goleiro Artur, do Coritiba em 2006. Ele tomou o cartão antes do jogo começar, pois entrou em campo com o uniforme preto, parecido com o do goleiro adversário, foi obrigado a se trocar e quando voltou, levou o cartão.
Vermelho: Foi dia 28/08/2005, num jogo entre Parnahyba e Imperatriz, foi  Eridon, do Parnahyba quem levou o cartão, durante o minuto de silêncio, ele deu um soco no jogador adversário e foi expulso.

3° – ORIGEM DE “OLÉ”

Das touradas espanholas. A primeira aparição da expressão nos estádios ocorreu com um time brasileiro, o Botafogo. Os cariocas disputaram uma partida contra o América do México. O time brasileiro era de muita qualidade e logo começou a irritar os adversários, que apelaram para as entradas duras. Para fugir delas, os jogadores do Botafogo começaram a dar apenas toquinhos na bola, colocando os mexicanos na roda, e aí, a torcida foi ao delírio e gritou “olé” pela primeira vez em um jogo.

4° – PRIMEIRA TRANSMISSÃO COLORIDA

O primeiro jogo de futebol com transmissão colorida no Brasil foi um 0 X 0 de um amistoso entre  Caxias do Sul e o Grêmio. Disputado no dia 19 de fevereiro de 1972, era parte da programação da Festa da Uva da cidade. Essa experiência da TV Difusora de Porto Alegre foi retransmitida pelas TVs Rio, do Rio de Janeiro e de Brasília, e pela TV Record, de São Paulo.

5° – O MAIOR NÚMERO DE GOLS NUM SÓ JOGO

A partida de futebol com o maior número de gols de que se tem notícia na história do futebol aconteceu no dia 12 de setembro de 1885, em Arbroath, na Escócia. O time da casa enfiou um humilhante 36 a 0 no modesto Bon Accord, em jogo válido pelo Campeonato Escocês.  Sete gols do Arbroath foram anulados pelo juiz, que marcou impedimento dos atacantes.

6° – RECORDE DE EXPULSÕES NO FUTEBOL BRASILEIRO

Portuguesa de Desportos e Botafogo jogavam pelo Torneio Rio-São Paulo de 1954, no Pacaembu. Mas a partida acabou aos 31 minutos do segundo tempo, quando estava 3 x 1 para a Lusa. Tudo porque os 32 jogadores acabaram expulsos de campo. A confusão começou com o zagueiro Thomé, do Botafogo, que tentava cobrar um tiro de meta enquanto o atacante Ortega, da Lusa, catimbava, tentando ganhar tempo. Os dois discutiram, trocaram socos e pontapés e acabaram envolvendo os outros jogadores. O juiz da partida, Carlos de Oliveira Monteiro, ficou assistindo a briga, esperou a coisa acalmar e, no final da confusão, expulsou todo mundo.

7° – COMO SURGIU A EXPRESSÃO “GANDULA”

Segundo o Dicionário Aurélio Século XXI, a palavra gandula é: “Pessoa incumbida de ir buscar e devolver a bola que sai de campo ou quadra durante o jogo.” A curiosidade que existe relacionada com a palavra gandula está na revista Almanaque de Cultura Popular – BRASIL, em sua edição nº 161, ano 14, de setembro de 2012, p. 10, onde, sob o Título “Origem da expressão”, consta que: O Clube de futebol Vasco da Gama contratou, em 1939, um jogador de futebol argentino cujo nome era Bernardo Gandulla. O atacante teve poucas oportunidades de atuar como titular e permanecia, na maioria dos jogos, no banco de reservas. Mas sua dedicação com uma atitude incomum despertava a atenção, pois, quando a bola saía de campo, o jogador Gandulla, se dedicava a buscar a pelota para rápida reposição, mesmo que fosse a favor do time adversário. Pelo gesto gentil e dedicação tornou-se simpático à torcida. Com a instituição da atividade de reposição de bola a ser exercida durante as partidas de futebol, qualquer garoto que desempenhasse a função passou a ser chamado de gandula.